Siga por Email

Marcadores

Encontre no blog. É só digitar

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

AINDA QUE LENDO, OUÇA! As grandes possibilidades do natal de Jesus










Mas a terra que foi angustiada não será entenebrecida. Ele envileceu, nos primeiros tempos, a terra de Zebulom e a terra de Naftali; mas, nos últimos, a enobreceu junto ao caminho do mar, além do Jordão, a Galiléia dos gentios.
O povo que andava em trevas viu uma grande luz, e sobre os que habitavam na região da sombra de morte resplandeceu a luz.
Tu multiplicaste este povo e a alegria lhe aumentaste; todos se alegrarão perante ti, como se alegram na ceifa e como exultam quando se repartem os despojos.
Porque tu quebraste o jugo que pesava sobre ele, a vara que lhe feria os ombros e o cetro do seu opressor, como no dia dos midianitas.
Porque toda a armadura daqueles que pelejavam com ruído e as vestes que rolavam no sangue serão queimadas, servirão de pasto ao fogo.
Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; e o principado está sobre os seus ombros; e o seu nome será Maravilhoso Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz.
Do incremento deste principado e da paz, não haverá fim, sobre o trono de Davi e no seu reino, para o firmar e o fortificar em juízo e em justiça, desde agora e para sempre; o zelo do SENHOR dos Exércitos fará isto (Isaias 9:1-7
AS GRANDES POSSIBILIDADES DO NATAL DE JESUS
Introdução: Natal é época de alegria. Salvo raras exceções, há todo um envolvimento com mudança no visual das casas, enfeites natalinos, compra de presentes, etc. As crianças vivem dias de expectativa e os pais têm que se virar para, na medida do possível, não decepcioná-las.
Mas... o que se pode observar, é que a alegria, a motivação e o entusiasmo que afloram às vésperas e durante o NATAL, se dissipam e qual nuvem de fumaça se desfazem tão logo o NATAL se vai, e o saldo, são as dívidas, voltando a vida a ser aquela experiência que nem de longe lembra os dias de alegria experimentados em função do 25 de Dezembro.
— O que falta às pessoas para que elas sejam verdadeiramente felizes, numa felicidade duradoura e não fugaz e passageira? O que falta às pessoas para que elas vivam a vida como uma experiência agradabilíssima e não como um fardo que pesada e de forma sofrida se carrega?
— Nós vamos responder a estas e outras perguntas usando para isto o texto mencionado in initio..
— O texto apresenta uma situação de contrastes. Fala-se de uma terra angustiada, de um povo que andava em trevas e de habitantes da sombra da morte.
O quadro é deprimente. Angústia, trevas, morte, são palavras e experiências desoladoras. Em relação ao povo em apreço, Israel, este estado de coisas deveu-se às invasões estrangeiras e derrotas humilhantes sofridas, levando cada cidadão que compunha esse povo a experimentar este estado de espírito amargurado.
À época em que o profeta registra suas palavras, quem chegasse às cidades cujos nomes aparecem no texto, haveria de constatar nas palavras, nas atitudes e na própria face dos remanescentes esta angústia; este clima tenebroso, palavras que sugerem um ambiente sombrio e desolador; este cheiro de morte no ar.
— Contudo, o profeta aponta para um momento em que o quadro mudaria completamente. Da terra angustiada, diz o profeta que se tornará nobre, sugerindo reconstrução, mudança radical para melhor, glórias. E do povo que andava em trevas e à sombra da morte, fala na dissipação das trevas e das sombras, pelo raiar de uma esplendorosa luz.
— O que poderia provocar mudança tão radical na vida e no estado de espírito daquele povo? — JESUS — O profeta pelo poder de Deus vê os dias do nascimento de Jesus Cristo e AS GRANDES POSSIBILIDADES DO NATAL DE JESUS. Para o profeta:
I) JESUS DARÁ FIM ÀS ANGÚSTIAS.
— Os dicionários definem angústia como ansiedade física acompanhada de opressão dolorosa; inquietude profunda que oprime o coração; agonia, etc.
—E não é este o estado de espírito do ser humano dos últimos tempos?
—Nos contatos com as pessoas e analisando as suas vidas e o teor de suas declarações, podemos constatar que, regra geral, as pessoas vivem, normalmente, sufocadas pelos seus problemas e angustiadas por não verem-nos resolvidos.
— Contudo, na visão de Isaias, o menino que nascerá — o JESUS que já nasceu, viveu, cresceu e morreu em nosso lugar, daria fim às angústias. — Disse Jesus: Vinde a mim, todos vós que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim que sou manso e humilde de coração. E encontrareis descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve”(Mateus 11:28-30)
II) JESUS DARÁ FIM ÀS TREVAS.
— Trevas lembram solidão e o mundo é composto de solitários. “A multidão é feita de solitários. Embora seja fundamentalmente um animal social, o homem sofre de solidão — uma doença que o formigueiro das grandes cidades só veio agravar” (Coleção Nós e os Outros). Trevas também lembram ignorância; lembram perigo; lembram medo. Trevas lembram o príncipe das trevas, Satanás e suas hostes.
— Mas de JESUS disse o profeta O povo que andava em trevas viu uma grande luz...” (9:2a) . — E Jesus, assumindo o seu papel na história da salvação, disse: Eu sou a luz do mundo. Quem me segue, não andará em trevas, mas terá a luz da vida (João 8:12)
III) JESUS DARÁ FIM À MORTE.
— Morte é morte. E falar em morte, conviver com a morte e encarar a morte é algo, em si, desagradável.
— Mas, uma das GRANDES POSSIBILIDADES DO NATAL DE JESUS apontada pelo profeta é o ressurgir dentre os mortos O povo que andava em trevas viu uma grande luz, e sobre os que habitavam na região da sombra de morte resplandeceu a luz (9:2). — Luz para os mortos fisicamente Disse-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá; e todo aquele que vive, e crê em mim, nunca morrerá. Crês tu isto? (João11:25-26). Luz para os mortos espiritualmente “O ladrão não vem senão a roubar, a matar, e a destruir; eu vim para que tenham vida, e a tenham com abundância”. (João 10:10) Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; e o principado está sobre os seus ombros; e o seu nome será Maravilhoso Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz”.(Isaias 9:6).
Conclusão: No próximo dia 25 comemoramos o NATAL DE JESUS. Pena que para a maioria das pessoas AS GRANDES POSSIBILIDADES DO NATAL DE JESUS limitam-se apenas a comer e beber; visitar e receber visitas; presentear e receber presentes; trocar o vestuário, reformar a casa, e só.
Contudo, se você quer mais do natal de Jesus; se você sente necessidades até agora não satisfeitas; se você percebe-se numa clima de angústia, trevas e morte; se você quer que as alegrias do natal sejam experiências constantes e não limitadas aos festejos natalinos; se você quer um feliz natal e um feliz 26, 27 etc, entregue sua vida ao menino que nasceu. Fazendo isto, você experimentará AS GRANDES POSSIBILIDADES DO NATAL DE JESUS.
Paulo Natalino Dian

Nenhum comentário:

Postar um comentário