Siga por Email

Marcadores

Encontre no blog. É só digitar

domingo, 1 de maio de 2011

ESCREVENDO: Ele caiu mas eu não CAIO (Carta aberta a um amigo)






















          Meu queridíssimo (...)! Como eu poderia me esquecer de você? Como é que você está meu irmão? Por onde tem andado? Você me encontrou virtualmente, mas quero que saiba que a minha casa está de portas escancaradas para um encontro pessoal e fraterno. Apareça!

Muito obrigado pelas palavras carinhosas a mim dirigidas. E muito obrigado por sua sinceridade. Obrigado mesmo!


Quanto à sua tristeza, por eu estar “...seguindo as filosofias do Caio Fábio...”, relaxe! Eu sigo é a Jesus. Sem o engano da religião e sem o peso das doutrinas. Só a Jesus.

Agora, responda sinceramente: Você já parou para ouvir e refletir sobre o que diz o Caio Fábio? Olha, eu sinceramente acho que você nunca parou para ouvi-lo. Porque, se ouviu e, mesmo assim, chama a sua pregação de filosofia, eu não posso chegar a outra conclusão senão a de que você ainda não aprendeu nada do EVANGELHO. Agora, se você ainda não parou para ouvi-lo e, ainda assim, classifica o EVANGELHO na sua boca de filosofia, então meu amigo, a conclusão é ainda pior: você ainda carrega um dos piores defeitos dos “evangélicos” que é julgar sempre, perdoar nunca e rotular depreciativamente aqueles que não lêem por suas cartilhas.

Eu ouço o Caio e, diferentemente de você, reflito sobre o que ele diz e comparo com o EVANGELHO DE JESUS e não com o “evangelho” dos “evangélicos”. Talvez por isso, na sua boca, em regra, eu encontro palavras da vida e para a vida e, você, filosofias.

De qualquer forma, tanto o Caio, quanto eu e você somos sempre e totalmente dependentes da graça de Deus e, por ela, creio que um dia, nós três e muitos outros poderemos, à mesa com o Pai, bater um agradável papo sobre nossas impressões.

Abração!
Paulo Natalino Dian

Um comentário:

  1. querido irmão , mandei um e-mail pedindo seu telefone, mas não obtive respostas , portanto anote o meu .

    41134757 ou 82453418

    Abraços .

    Luis Francisco

    ResponderExcluir