Siga por Email

Marcadores

Encontre no blog. É só digitar

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

ESCREVENDO: Correntes (II)

Nestes tempos de eleições acontece um verdadeiro frenesi no ambiente evangélico. Daí, outra pessoa muito querida me escreveu, consultando acerca de uma corrente (textos que circulam anos a fio pela internet) da qual constavam alguns projetos que estariam tramitando no Congresso em desfavor do, pretensiosamente, auto-intitulado povo de Deus. Segue minha resposta:


(...), minha querida,

Infelizmente o mundo gospel (entenda-se evangélico) tem se revelado, cada vez mais, um ambiente freqüentado e caracterizado por gente ingênua e manipulável, para não usar termos mais fortes e que, como tal, se presta à disseminação de mentiras, invencionices e fofocas oriundas de lideranças perversas, verdadeiros lobos travestidos de pastores de ovelhas, que querem, a qualquer custo, manter sob jugo a perceptivelmente alienada membrezia. Assim, sem qualquer responsabilidade, inventam notícias para criar todo esse clima de preocupação e deixam que as ovelhinhas divulguem. E elas divulgam. Milhões de pessoas recebem mensagens como essa. E, então, muitos lobos que se apresentam como pastores, vão eleger-se ou eleger seus irmãos (não estou falando de irmão de fé, mas irmão de sangue) como é o caso do RR Soares, do Silas Malafaia etc.


O objetivo, minha irmãzinha, é eleitoreiro. O objetivo dessas lideranças é manter as igrejas naquilo no que eles já a transformaram: em currais eleitorais.


Me deixa esclarecer uma coisa: muitos, dos mencionados projetos de lei nunca existiram, ou tratam de outras coisas.


Agora é preciso que se saiba que um deputado pode apresentar projetos de lei que versem sobre qualquer coisa. Basta ele ter uma idéia, qualquer idéia, e transformá-la num projeto.


Veja, a seguir, alguns exemplos exóticos (exemplos verdadeiros):


Projeto: Proíbe que bichos de estimação recebam nome de gente, com pena de multa.
Autor: Pastor Reinaldo (PTB-RS), Câmara dos Deputados.
Argumento: Evitar saias-justas em encontros entre pessoas e animais de mesmo nome. Mas o autor desistiu quando eleitores começaram a batizar seus cães de pastor Reinaldo.



Projeto: Institui o Dia Estadual do Cachorro, o melhor amigo do homem.
Autor: Antônio Pedregal (PT do B), Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro.
Argumento: O deputado, dono de 3 cães, citou como exemplo uma estátua em homenagem aos cães no Missouri, EUA. Mas desistiu porque queriam incluir os gatos na proposta.


Então, minha irmãzinha, deu na telha, o deputado cria o projeto. Mas para virar lei, é outra coisa. Porque, dentre as comissões que analisa o projeto, tem a Comissão de Constituição e Justiça que vai avaliar se o projeto ofende a Constituição e, se ofender, ele não vira lei. E se virar, o Poder Judiciário corrige.

Agora, cá entre nós, eu adoraria que alguns dos projetos que constam do e-mail virassem lei. Não me afetariam em nada, pelo contrário, me fariam um bem enorme como discípulo de Jesus.


Por exemplo:

Fica proibido fazer cultos ou evangelismo na rua. Seria ótimo se fosse aprovado. Porque, se virasse lei (infelizmente não vai virar), nós tiraríamos da rua um montão de gente alienada e neurótica que nunca conheceu o Evangelho e que teimam em pregar aquilo que Jesus não pregou. Por outro lado, quem é discípulo de Jesus, teria a oportunidade de continuar cultuando e pregando e pagando o preço como os primeiros discípulos que, apesar da proibição, nunca deixaram de falar daquilo que viram, ouviram e experimentaram como realidade neles.

Fica proibido fazer programas evangélicos na televisão por mais de uma hora por dia: Deixa eu lhe fazer uma pergunta Telma: você tem assistido algum programa evangélico na televisão? Qual deles está pregando o EVANGELHO? Você pode, conhecendo o EVANGELHO, dizer que é EVANGELHO o que está sendo pregado?


Pregar sobre dízimos e ofertas, havendo reclamações obreiros serão presos: Meu Deus! Isso tem de virar lei! Aí vai acabar a exploração do povo! Pobre povo! Explorado por raposas como RR Soares, Silas Malafaia, Waldemiro Santiago etc.


Sabe: repressão, perseguição, ameaças, espancamento, prisão e morte não preocupam a quem ama a Jesus, a quem considera glória padecer pelo nome de Jesus. E nunca trouxe prejuízo à pregação do Evangelho.


Mas fique tranqüila! As mentiras que constam do e-mail que você me enviou não vão virar leis. Que pena!


Por derradeiro, um conselho: como estamos às vésperas de uma eleição, escolha seus candidatos por conhecê-los, por suas idéias, propostas etc.


Mas não vote num candidato só porque ele é evangélico. Porque, se o fizer, você estará fazendo o jogo dos lobos que idealizaram o e-mail mentiroso.


No amor de Jesus,


Paulo.

Um comentário:

  1. Muito boa análise sobre as propostas de leis, eu não havia pensado dessa forma. Era contra elas, porem da forma que foi colocado por você me fez ter duvidas.

    ResponderExcluir